Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um dia faço um blog

Só dois minutinhos para falar de pêlos, sim?

Mulher que é mulher sabe que a depilação é o nosso calcanhar de aquiles. E não há margem para histórias de que cada um anda como quer, não me lixem. Isso é tudo muito bonito mas está para chegar a pessoa que me diga que adora de paixão andar a exibir os seus pêlos de cabeça levantada e orgulho. Portanto, let's be honest: a gigante percentagem de nós seria menina para dar um rim pelo extermínio definitivo dos pêlos que nos assombram por motivos vários, a saber:

1. São muitos - Muitos e estão espalhados pelo corpo todo. Podiam estar concentrados num só sítio, mas não. Tenho uma inveja desgraçada, daquelas invejas pouco saudáveis, das pessoas que quase não têm pêlos. São raras, é verdade, mas existem. Sacanas das sortudas. 

2. Dificuldade na escolha do método - Ora , ora, ora. Este subtema dá pano para mangas. Cera dói como o raio, principalmente em alguns sítios. É preciso coragem. E alguns euros na carteira caso opte por uma esteticista. Lâmina só funciona nas primeiras horas, e é vê-los crescer que nem loucos pouco tempo depois da depilação. Já para não falar dos cortes. E da pouca paciência para examinar se sobrou algum maldito. E não arranca o pêlo, apenas o corta. Temos ainda aqueles cremes manhosos que queimam o pêlo. E a pele. E não são grande coisa. E duram pouco. Depois há a máquina de depilação. Nunca experimentei mas ouvi dizer que também dói e que também não tem grande durabilidade. 

3. Tempo de crescimento - Usem que método for, eles voltam a crescer. É absolutamente fatídico, está pré-destinado. Eles voltam! E depois há sempre o tão habitual problema: não estão muito grandes, mas já voltaram. No entanto não estão suficientemente grandes para ir à depilação. Mas queria ir à praia e eles já se notam. Bahhh, um inferno. 

4. Não são estéticos - Eu pelo menos não acho. Sei que já houve por aí uma grande corrente que apelava ao crescimento dos pêlos, mais um menos semelhante aquela campanha femininista que decidiu queimar soutiens apelando à igualdade entre géneros (wtf?). 

 

Enfim,podia continuar aqui a minha lista que acredito que pela hora de jantar terminaria de vos contar todos os meus motivos para declarar guerra aos pêlos. Mas como nem eu tenho o dia todo, nem vocês têm paciência inesgotável, vamos ao que interessa. Depilação a laser! Que tal? 

Já estive muito tentada a experimentar mas como não tenho tido tempo ( leia-se: €€€€€€€€ ) não tem dado. Há uns anos atrás era caríssimo. Pelo menos na altura em que andei a ver era. Agora parece que já não é bem assim. Várias bloggers da praça pública aqui da bloga têm aconselhado uma clínica mas como sei que muitas delas diriam maravilhas por meia dúzia de trocos, decidi pedir alguns conselhos a vocês, pessoas de bem com a vida e honestas, que sei que não me mentiam numa coisinha destas. 

Portanto, na minha mira está a clínica Ultimate Laser. Os preços não parecem ser absurdamente elevados, já ouvi falar várias vezes deles. Tem tudo para dar certo, não acham?

Se tiverem experiências contem-me! Demora muito tempo até dar cabo deles para todo o sempre? Sim, sei que depende de pessoa para pessoa mas, em média, é preciso andar a fazer sessões até aos 50 anos para que eles desapareçam para o mais infinito e mais além? E vão e não voltam mesmo? Ou os filhos da mãe têm tendência a voltar a dar de si? E dói? Não me escondam nada, que sou menina para fugir a sete pés de tudo o que envolva um grau acentuado de dor. 

14 comentários

Comentar post