Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um dia faço um blog

Desabafos de final de ano #1

E a raiva que dá aquelas pessoas que mentem descaradamente na nossa cara?

E pior: além de mentirem, descarada e absurdamente, juram a pés juntos cada palavra que sai das suas bocas?

E pior ainda: fazem tudo isso com um sorriso de orelha a orelha.

E mil vezes pior: vivem a própria mentira, como se fosse verdade.

E a tragédia: sabemos a verdade mas não podemos (ou não devemos) dizer.

Inspirar. Expirar.

E não é que voltaram os eventos do facebook?

Ok, eu poderia enumerar aqui as centenas (e não estou a exagerar) de eventos que estão a incendiar o maravilhoso mundo do facebook.

Eu bem que sabia que eles iriam voltar. Houve uma altura em que ocorreu um boom desta palhaçada. Mas depois sumiram-se. puff, desapareceram.

Mas não, caros amigos. Eles não desapareceram para todo o sempre. Não se sumiram para o espaço. Eles voltaram. E parece que chegaram para ficar, a ver pela quantidade deles.

Há de tudo.

Vou deixar aqui dois exemplos que vi agora mesmo no meu feed.

 

É ou não é amoroso a vontade destas 24000 pessoas acabarem com 70% da população portuguesa ?

evento2.png

 

E este jogo das escondidas com a Maddie? É ou não é absurdo? É que reparem.. Não foi só uma nem duas pessoas. São 18000. Desculpem, isto é mórbido.

eventos.png

 

Por favor não se acanhem. Contem-me quais os eventos mais estúpidos que já vos apareceu à frente. Contem-me , que eu estou sempre disponível a ver até onde chega a estupidez das pessoas.

O maravilhoso mundo das aplicações para telemóveis.

De vez em quando gosto de explorar quais as novas aplicações e volta e meia lá encontro uma ou outra que me agradam bastante.

Ora, hoje encontrei uma fenomenal. Chama-se toilet time e trata-se de mini-jogos para jogar durante os nossos afazeres nesse espaço.. Não me agrada propriamente bastante mas achei que podia partilhar.

Não resisti e descarreguei a aplicação.

Bom, há de tudo. São pequenos jogos rápidos em que fazemos de tudo: matamos baratas, ajustamos a temperatura do chuveiro, evitamos que objetos caiam para dentro da sanita, desenrolamos rolos de papel higiénico, treinamos a nossa pontaria para limpar a sanita, desentupimos sanitas, evitamos que uma rapariga vá a um encontro com papel agarrado ao sapato..Enfim, é maravilhoso.

Entretanto também temos a possibilidade de abrir casas de banho com chaves especiais. Cada casa de banho dá acesso a uma frase, daquelas bem profundas. Partilho convosco uma delas:

0.png

 

É ou não é poético?

Como não adorar isto?

 

Pensando bem podemos ficar em 2014, obrigadinha.

Ai, como eu adoro ler aquelas revistas que trazem as previsões dos signos para os anos seguintes.

Certinhas que só elas.

Mas reparem que sou do tempo em que todas nós, pré-adolescentes da época dos morangos com acúcar, líamos o horóscopo da bravo e seguimos os conselhos quase religiosamente.

Bom, de acordo com este artigo parece-me que posso ficar aqui por este ano. Ou então hibernar até 2016.

Balançinhas deste mundo, atentem o seguinte:

 

"Este ano, de 2015, conte com alguns dissabores no amor. Terá dificuldades relacionais, apesar de estar protegido.

Será muito inconstante nas suas atitudes e por isso, quererá pôr fim a uma relação.

Financeiramente estão protegidos créditos e ajudas. Não será um ano nada fácil, mas conseguirá beneficiar destas “mãos amigas”.

Na saúde controle os nervos, pois andará muito stressado e preocupado. Ao ponto de perder horas de sono, de tão pensativo que vai andar."

 

É ou não é maravilhoso?

Valham-nos as mãos amigas , que o ano de 2015 está de fugir.

Isto de estar de férias dá-me cabo da orientação

Raios partam estes dias confusos. Eu juro que quando entro em modo férias esqueço-me completamente a quantas ando.

A sério que isto é extremamente irritante. Principalmente porque o Domingo parece ser um dia de semana, e há dias de semana que parecem ser Domingo.

A minha agenda está bem escondida dentro da mala, e há 1 semana que não lhe dou uso.

Sei que tenho coisas combinadas, mas não tenho a certeza nem do dia nem da hora. Temo que provavelmente falhe algum compromisso.

Entretanto sinto que até ao final de Janeiro não quero dar uso à agenda. Mas por outro lado gostaria de recuperar um pouco mais a minha orientação no tempo sem ter que recorrer ao telemóvel para ver o dia em que estou.

Dilemas, dilemas.

 

A culpa é sempre da praxe.

Ou não. Mas este jornal achou relevante referir o culpado era um estudante universitário. 

Li um comentário acerca desta notícia que é bem verdade...É que pensando bem, ao preço que está a gasolina também não deve ter tido grande lucro.

Correio da manhã e as suas notícias tendenciosas, para variar.

 

01.jpg

 

Posto isto, cuidado com os estudantes.

Tenham medo...muito medo.

 

Eu juro que não sou um consultório sentimental.

Recebi este email e não sei bem como nem porquê mas decidi deixar uma resposta ao João.

Ora atentem:

 

email.png

 

Antes de mais quero esclarecer o seguinte: não tenciono transformar este blog num consultório da Maya nem tão pouco quero assumir o papel de conselheira matrimonial,até porque aposto que cobram uma pipa de massa por consulta. Mas a verdade é que, após a leitura atenta deste email, acho que alguém tem que dizer a verdade a este rapaz.

Caro João, o seu email estava muito bem encaminhado até chegar à seguinte parte: " (...) logo eu que pensava que que esta relação só iria acabar quando eu quisesse e se fosse ela a acabá-la, não me iria afetar minimamente. Enganei-me."   Pois claro que se enganou, seu idiota!

Desculpe-me a franqueza mas chateia-me muito esta mania de alguns homens se acharem os donos e senhores de uma relação.

Depois, reparem quando diz que "(...) ou gostava mesmo dela?". Novamente lhe digo: idiota!

Outra mania que me irrita em alguns homens (e mulheres): assumirem uma relação só porque sim. Só porque dá jeito. Como assim não sabe se gostava dela?

Quer saber como seguir com a sua vida para a frente, João? Comece a valorizar quem tem do seu lado.

Com a sua maneira de encarar as relações, acredito que irá passar muitas vezes por situações idênticas. E, desculpe-me novamente a franqueza, é bem feita.

Agora olhe, é sorrir e acenar para a sua ex toda giraça a viver a vida como provavelmente merece.

Boa sorte.

 

 

A loucura dos saldos : Eu conto-vos tudo!

Chegou a época mais esperada. Pelo menos por parte do mulherio (eu incluída). Cheguei à conclusão que não serve de nada entrar à louca dentro de cada centro comercial deste país à caça de cada trapinho com desconto.

O que compensa mesmo é fazer uma busca primeiramente nos sites oficiais e ver o que realmente vale a pena e o que realmente precisamos.

Ora, foi isso que eu fiz!

Este é o primeiro post de muitos, certamente. Fiz uma busca pelas lojas que já entraram e saldos e apresento-vos algumas das sugestões que mais me agradaram.

Claro que quem tiver sugestões pode (e deve!!) enviar um email a contar-me quais os saldos extra espectaculares que me estão a faltar. Temos que ser umas para as outras.

Vamos lá então:

saldos1.png

saldos2.jpg

 

saldos3.png

saldos4.png

saldos5.png

 

Que comece a loucura dos saldos.

Está declarada aberta a época da correria às zaras e mangos desta vida.

Ora...como não quero que entrem à maluca em tudo o que é centro comercial e que percam a cabeça por tudo o que é trapinho com desconto, adivinhem quem está a preparar um post com os melhores artigos em saldo ? Euzinha!!

De nada.

Me aguardem!

O Goucha é gay.

E então?

Será normal criarem uma página de facebook com o objetivo de achincalhar uma pessoa por ter feito uma escolha sexual e assumir em púlico? Assusta-me que a página tenha mais de 30 mil seguidores. Assusta-me ainda mais as piadas que fazem. Mas em que século vivemos nós afinal?

Poderíamos também falar de Jane Lynch,  Matt Bomer,  Jodie Foster,  Adam Lamber ,  Ellen DeGeneres,  Adriana Calcanhotto , Elton John, Neil Patrick Harris, Jonathan Groff , Daniela Mercury , Rick Martin ... Todos gays e figuras públicas. E muito provavelmente felizes e seguros de si mesmos. Tal como o Goucha.

É impressionante a quantidade de mentalidades retrógadas e subdesenvolvidas que encontramos ainda por estes lados.

Vamos lá ver, uma coisa é discordar e ter uma opinião formada e devidamente fundamentada sobre o assunto. Outra, completamente diferente, é munir-se de ofensas para justificar algo que são contra.

Proponho uma oração conjunta e 1 minuto de silêncio por todas as 30 mil alminhas que têm a necessidade de rebaixar o outro para subirem o seu próprio ego. Amén.

Pág. 1/5