Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um dia faço um blog

Blogues que têm mesmo que dar um olho.

Ainda sou muito verdinha nisto dos blogues, verdade seja dita. Três meses já dá para ter uma ideia de como a coisa funciona, mas claro que é com o tempo que me vou habituando.

Bem, acho interessante que vós, que de maneira tão fofinha acompanham este blogue, recebam algumas sugestões de alguns blogues que estão espalhados por esta blogosfera imensa e que merecem ser vistos. Por esse motivo, acho que de vez em quando vou deixando aqui uma lista de blogues que descobri e que estou a gostar de acompanhar.

Estes quatro entraram muito recentemente para a lista dos que gosto de seguir. Ora espreitem:

 

 

Nisto dos blogues e das redes sociais acho muito importante partilhar o que gostamos e o que achamos que os outros também vão gostar, e é nesse sentido que vos vou começar a mostrar aquilo que começo a acompanhar.

Vá, agora atrevam-se a invadirem as quatro sugestões que vos dei e esquecerem-se do meu humilde e amoroso espaço, sim?

Partilhem também blogues que achem interessantes, estarei sempre disposta a vê-los e a comprovar se valem mesmo a pena ! :)

Manual de aprendizagem para quem tem ou pensa ter gatos.

Tenho um gato em casa e desde que chegou aprendi imensa coisa, e já lá vai um ano:

 

1. É impossível trabalhar no computador mais de meia hora seguida. Digamos que ele é especialmente apreciador do calor emanado pelo pc. Vai daí, mal me apanha distraída, salta para lá. O pior: já me mandou o computador umas quantas vezes ao chão, já me arrancou uma meia dúzia de teclas e já me partiu uma dobradiça. Tirando isso, é um amor tê-lo como companhia enquanto trabalho. Pena ser tão destruidor.

As provas:

1.png

 

2. Descobri o verdadeiro significado de desperdício (e o quanto é importante manter escondidos os rolos de papel higiénico).

As provas:

2.png

 

3. A privacidade deixou de existir, a partir do momento em que o gatinho mais fofo do mundo me segue para a casa de banho, e que me olha atentamente enquanto tomo banho.

(Por motivos óbvios não há provas)

 

4. Lá se vai o tempo em que era o despertador que me acordava.

 

5. Por falar nisso, agora tenho sempre quem me aqueça os pés na cama.

As provas:

5.jpg.jpg

 

6. Deixei de falar sozinha. Agora tenho longos períodos de conversa com ele.

 

7. Acima de tudo, descobri que um gato é mil vezes mais cusco que o ser humano. Ele é capaz de passar horas nisto.

As provas:

7.jpg.jpg

 

E vocês? Também têm gatos? Falta-me aqui algum ponto?

 

 

Estou muito chateada com isto do eclipse, pois claro que estou.

Lembro-me que quando era miúda delirava quando havia um eclipse.

Era sempre muito divertido.

Recordo-me que semanas antes comprávamos aqueles óculos xpto e que as escolas organizavam actividades para este dia. Eu delirava. Andava sempre a perguntar quando era o próximo.

Depois claro, eu e a minha geração fomos marcados por aquela história de que não podíamos olhar directamente para o céu na hora do eclipse porque poderia ferir a vista. O que ainda dava mais emoção à coisa . Púnhamos os óculos e sentíamos que éramos um máximo porque estávamos a ver algo fora do comum.

Bom, na verdade nunca se viu grande coisa, pelo menos pormenorizadamente, mas era espectacular na mesma. E depois, quando se dizia que o próximo só iria acontecer daqui a alguns anos, achávamos nós que seria uma eternidade, que aquele era um momento especial e que éramos uns privilegiados por assistir a tal acontecimento.

Pois bem, há umas semanas ouvi que hoje havia um eclipse parcial do sol. Fiquei entusiasmada, claro. Na verdade, acho que fiquei um pouco com aquela vontade de voltar aos tempos de criança. Aos tempos em que, quando acontecia algo do género, a escola fazia um dia dedicado às estrelas, planetas, etc.  Pensei logo: vou comprar uns óculos daqueles que usava na infância.

Entretanto hoje chegou o dia. E eu esqueci-me completamente.

Acordei às 8h, e permaneci na cama até às 9h na ronha até ganhar coragem de me levantar. Levantei-me, abri a janela e vi que o dia estava mais escuro que o normal. E pronto, aí lembrei-me que o dia era hoje. 

Bolas, pá.